Es.pa.ço s. m. 1. Fís. Extensão tridimensional ilimitada ou infinitamente grande, que
contém todos os seres e coisas e é campo de todos os eventos.
I.ma.gi.ná.rio adj. 1. Que só existe na imaginação. 2. Que não é real. 3. Ilusório. S. m. Escultor de imagens.



terça-feira, 10 de março de 2009

Fazer Arquitetura...

A maior parte das pessoas acha que fazer arquitetura é uma atividade relaxante, quase fácil. Afinal de contas, passar os dias colorindo desenhinhos, fazendo plantinhas e maquetinhas parece ser um barato! Mas ninguém fora do nosso meio-ambiente entende o que realmente significa fazer arquitetura...
Fazer arquitetura é passar horas, ou até mesmo dias em cima da prancheta (ou do computador) debruçado sobre o mesmíssimo problema: pode ser um problema de fluxos, o espaço interno pode estar apertado demais, pode ser uma confusão nos acessos, ou um detalhezinho técnico (talvez não tão zinho assim) que interferiu em toda a forma do edifício e pronto! Lá está você, heroicamente, como um espartano, tentando descobrir uma solução que, na maioria das vezes, é óbvia. E aí você arremata com um “como foi que eu não pensei nisso antes?”. Ou você resolve seu problema e fica impressionado com sua genialidade arquitetônica só pra descobrir, mesmo que muito tempo depois, que sua solução não foi tão genial assim. Fazer arquitetura é estudar livros e mais livros, debruçar-se sobre teorias complexas, descabelar-se quando você não entende nada e, o pior, a prova é na semana que vem! Fazer arquitetura é desenhar, desenhar muito, se esmerando nos detalhes e depois ter que ouvir um professor perguntar a respeito de um detalhe que você levou horas pra fazer “isso é um tanque? Parece um vaso sanitário!” Fazer arquitetura é falar de grandes mestres da arquitetura como se eles fossem seus amigos de boteco: “Ah, o Mies era fenomenal!”, “O Corbu é que entendia desse assunto.” Fazer arquitetura é esquecer da vida... Isso se você ainda tiver uma, depois de virar noites e noites fazendo projetos, maquete, trabalhos... Fazer arquitetura é andar feito doido pelas ruas, olhando para os prédios, e tirando fotos de construções ao invés de pessoas. Fazer arquitetura é se emocionar ao ver uma obra genial. É ter ídolos que a maior parte dos seus amigos e parentes nem conhece! Quando seu perfil do Orkut tem mais fotos de seus projetos do que suas, você sabe que faz arquitetura. Quando você faz arquitetura, sua noção de tempo muda: dia e noite significam apenas luz apagada ou acesa. Quando você faz arquitetura você descobre que comer não é tão importante, e que tomar banho pode ser um luxo em algumas ocasiões. Quando você começa a conversar sobre espacialidade e teoria da arquitetura com seu irmão de 11 anos, você sabe que faz arquitetura! E, tão certo como o momento fletor em uma laje causa deformação no centro, você sabe que está fadado a isso pra sempre. Porque, apesar das noites mal-dormidas e das noites nem-dormidas, apesar da dor absurda na lombar depois de ficar horas sentado na cadeira do computador, apesar de ter se descabelado às vésperas de todas as provas de sistemas estruturais, você adora isso. Fazer o quê? E graças aos estudantes de arquitetura, e mesmo aos arquitetos formados, os psicólogos nunca ficarão sem emprego. Afinal de contas, nós somos doidos por Arquitetura!

11 comentários:

Raoni disse...

HAHAHAHA esse texto diz exatamente TUDO!

Letícia disse...

Sim...acabei de perceber que faço arquitetura hahaha... noites sem dormir, dias sem comer direito... mas fazer o que, no fundo agente ama arquitetura

Jorge Luis Stocker Jr. disse...

Ótimo, impossível não se identificar :P

Jéssica disse...

Estou no 3° ano, e pretendo fazer vestibular para arquitetura.As suas palavras me deixaram espantada,mas se é isso que eu realmente quero... vamos que vamos !

Ayesha Luciano disse...

Pois é, minha cara Jéssica, é por aí mesmo, viu? Noites sem dormir, entregas atrasadas, desespero, dedos cortados, crises de choro, tudo isso regado a muito café! Mas seria injusto falar apenas da parte "ruim", porque apesar de todos os pesares, quando você é mordido pelo bichinho-arquiteto, aí não tem jeito: você até sofre, mas sorrindo! Mas não se desespere antes da hora, tá? Se você quer mesmo fazer arquitetura, vá em frente! Arme-se de lapiseiras, papel, escalímetro, esquadro, compasso, régua paralela, caneta nankim, café (muito café!) e vamo que vamo!
Obrigada pela vista! Boa sorte aí no vestibular!

renatastello disse...

Nossa suas palavras realmente me deixaram ainda mais fascinada por este mundo dos arquitetos!! estou mudando meu curso para arquitetura e ja estou apaixonada antes mesmo de começar!!!!

Adorei!

Ayesha Luciano disse...

Renata, se o universo da arquitetura te fascina, siga em frente! O meu texto é um pouco terrosrista (rsrs) mas a arquitetura é como o café: é deliciosa, vicia e tira o sono. Aliás, café é uma coisa que você vai precisar muito se decidir se tornar arquiteta! Tomara que a sua paixão por arquitetura dê frutos e que você se torne realmente minha colega de profissão! Abraços!

Ana disse...

Ayesha vc resumiu minha semana no seu post: estruturas, projeto, monografia e uma dor na lombar! haahah. Pelo menos ri um pouco!

Ayesha Luciano disse...

Ana, nesses anos todos de faculdade eu passei por isso várias vezes, mas sempre valeu a pena no final. E para a dor na lombar sempre existe Dorflex! hehehehe Boa sorte na sua caminhada!

Grupo x 1º J disse...

show de bola, tenho 17 anos estou focado na arquitetura estou disposto a passar por tudo isso. Parabéns a todos arquitetos

Grupo x 1º J disse...

show de bola, tenho 17 anos estou focado na arquitetura estou disposto a passar por tudo isso. Parabéns a todos arquitetos