Es.pa.ço s. m. 1. Fís. Extensão tridimensional ilimitada ou infinitamente grande, que
contém todos os seres e coisas e é campo de todos os eventos.
I.ma.gi.ná.rio adj. 1. Que só existe na imaginação. 2. Que não é real. 3. Ilusório. S. m. Escultor de imagens.



quarta-feira, 1 de outubro de 2008

Reformas Urbanas: Rio de Janeiro (Pereira Passos)

A cidade do Rio de Janeiro, fundada em 1565, permaneceu como um simples entreposto comercial até que a descoberta do ouro em minas levou o desenvolvimento econômico para a região sudeste. Nesse período o Rio foi elevado à condição de capital da colônia.
Até o século XIX o Rio de Janeiro ocupava apenas a área limitada entre o morro do castelo, de são Bento, de Santo Antônio e da Conceição.
A precariedade dos meios de transporte obrigava a população a residir mais próxima. Não havia estratificação espacial e o status do morador era evidenciado apenas pela aparência externa da edificação.
Em 1808, com a chegada da corte portuguesa o Rio de Janeiro é elevado á condição de Sede do Reino Unido de Portugal e Algarves. A cidade de 60000 habitantes (dos quais 40000 eram escravos) recebe cerca de 15000 portugueses. Como conseqüência da instalação da corte no Rio acontecem grandes transformações em sua estrutura social e física. A abertura dos portos às nações amigas (leia-se INGLATERRA) levou a um desenvolvimento comercial. Os serviços de abastecimento de água foram melhorados. Os bairros em que a corte se instalou passaram a ser mais valorizados e, conseqüentemente, surge a estratificação espacial e a segregação por bairros. O processo de expansão da cidade também se acelera, uma vez que a população mais abastada procura novas áreas afastadas do centro.
Em 7 de setembro de 1822 o Brasil se torna “independente” de Portugal. Nesse período o Rio contava com mais de 100000 habitantes. A expansão da economia cafeeira atrai grandes contingentes de trabalhadores. Em meados do século XIX são cedidas concessões para a atuação de empresas estrangeiras nos serviços de transporte público, água e iluminação, etc.
Entre 1870 e 1902 acontece um processo de expansão acelerada da malha urbana. Essa expansão leva à melhoria dos transportes. O primeiro trecho da Estrada de Ferro D. Pedro II é concluído em 1858 e a primeira linha de bondes puxados à tração animal data de 1868. O trem liga o centro ao subúrbio, ocupado pela população de baixa renda; o bonde liga o centro à zona sul, ocupada pela classe mais alta.
Nesse período a situação do centro ainda era precária, pois as reformas foram localizadas nas áreas de expansão. As freguesias centrais encontravam-se extremamente adensadas devido à necessidade da população carente de residir próxima ao local de trabalho. Esse adensamento levou à proliferação de cortiços, que tornaram-se fonte constante de epidemias. Os discursos sanitaristas combatiam a existência dos cortiços e muitos destes foram expropriados e demolidos.
No final do século XIX, com o declínio da economia cafeeira houve um aumento no número de fábricas no Rio. Com o fim do sistema escravagista e a migração de trabalhadores estrangeiros o problema habitacional agravou-se. Os cortiços ainda existentes foram se adensando e as epidemias aumentaram.
Em 15 de Novembro de 1889 o Brasil tornou-se uma República. Com o novo regime surgiu o ideal de mudar a imagem colonial do Rio de Janeiro. A primeira reforma urbana de vulto nesse período aconteceu no governo de Pereira Passos (1902-1906) e teve como objetivos o melhoramento, embelezamento e higienização. Tratava-se ao mesmo tempo da adequação do espaço urbano à novas necessidades e de uma tentativa de solucionar as contradições urbanas da cidade.
A abertura de novas vias como a Avenida Central (atual Av. Rio Branco) e a Avenida Beira-Mar, juntamente com o alargamento de algumas ruas já existentes foi o principal instrumento de melhoria física. O embelezamento ficou por conta da colocação de estátuas nas praças e jardins, arborização das ruas, a construção de novas edificações como o Teatro Municipal, e a uniformização das fachadas ao longo das novas avenidas. A canalização dos rios, o saneamento da Lagoa Rodrigo de Freitas e a demolição dos cortiços foram as iniciativas realizadas com o objetivo de higienizar a cidade. No fundo todas essas reformas tinham como objetivo melhorar a imagem do Rio, que na época ainda era capital federal, e foram inspiradas na imagem de Paris, na época uma das cidades mais importantes do mundo. Ou seja, foi uma tentativa de europeização do Rio (aquela nossa velha mania provinciana de achar que tudo que vem de fora é melhor...)
Outra reforma de vulto foi a intervenção do governo federal para a modernização do porto carioca, através do aumento de sua área com a construção de aterros e a modernização dos armazéns e maquinário.
As duas reformas foram intervenções importantes no espaço urbano do Rio de Janeiro, e representam como os novos momentos de organização social demandam novas funções espaciais. Mas também mostram como a resolução inadequada de contradições espaciais gera outras contradições. De certa forma, a longo prazo, a reforma Pereira Passos acelerou o processo de estratificação social, pois a demolição dos cortiços na área central levou à criação das favelas, e aumentou a segregação entre centro e periferia.

7 comentários:

**Luci@no** disse...

Excelente texto...servirá de base para um trabalho sobre as reformas urbanas no Rio de Janeiro, no século XIX. Parabens.
luc-assuncao@hotmail.com

Luciano

GEOGRAFIA NO VESTIBULAR disse...

gostei de seu Blog...muito intessante... li alguns assuntos e foi de valia para escrever uma matéria para meu blog...Parabéns e coloque mais matérias interessantescomo estas publicadas...
quando quiser fazer uma visita a meu geografianovest.blogspot.com ou resenhasbrasil.blogspot.com
valeu

Anônimo disse...

' Adoreei seu blog , me ajudou tambem no nmeu trabalho , parabéns !

Jhonny disse...

gosteei do blog.. vai me ajudar no meu trab da faculdade sobre as reformas de pereira passos

Anônimo disse...

É ficou muito bom este texto me deu uma auxiliada no meu trabalho PARABÉNS!!!!
Bjs.

Tamiris disse...

Muito bom!!! vai com certeza me ajudar!! Linguagem de fácil entendimento.valeu

Angela Sena disse...

Adorei a forma como conta a história da cidade do Rio.Me ajudou muito a explicar para minha filha de 10 anos como aconteceu a primeira reforma urbana do Rio de Janeiro♥♥♥