Es.pa.ço s. m. 1. Fís. Extensão tridimensional ilimitada ou infinitamente grande, que
contém todos os seres e coisas e é campo de todos os eventos.
I.ma.gi.ná.rio adj. 1. Que só existe na imaginação. 2. Que não é real. 3. Ilusório. S. m. Escultor de imagens.



domingo, 1 de junho de 2008

Do espaço e da arquitetura

"O espaço é o protagonista da arquitetura"

Logo que entrei para o primeiro período de Arquitetura e Urbanismo, fui obrigada a ler "Saber ver a Arquitetura", de Bruno Zevi. Digo obrigada porque naquela época eu não entendia bulhufas sobre arquitetura, quiçá sobre urbanismo. Na verdade, tudo o que eu sabia sobre arquitetura era que desenhava-se bastante, e que Oscar Niemeyer era arquiteto. De resto, absolutamente nada.
Por isso talvez tenha sido tão importante ler Bruno Zevi e, um pouco depois, Louis Khan (Forma y Diseño). Foi o meu primeiro contato real com a arquitetura, em termos de teoria. E foi fundamental para que eu passasse a compreender melhor o espaço, que, como Bruno Zevi disse, é o protagonista da Arquitetura.
Claro, seria mentira dizer que esse primeiro contato foi sufuciente para que eu passasse a compreender verdadeiramente a essência da arquitetura: isso é algo que você vai descobrindo a medida em que estuda e vivencia a arquitetura. Mas como primeira lição foi fundamental. O mesmo pode ser dito de Cidades Invisíveis, de Ítalo Calvino, que marcou meu primeiro contato com a cidade.

Por isso cá estou eu, criando esse blog para falar sobre arquitetura. Sobre espaço, sobre cidades, sobre sociedade e até mesmo sobre futilidades. Afinal, como disse um grande autor, cujo nome não me lembro agora, "o que salva a gente mesmo é a futilidade".

Nenhum comentário: